Como avaliar uma ação direta

O processo de fazer uma ação começa quando formas a equipa da ação e continua com as preparações (reuniões, ensaios, sessões de materiais), mas não acaba com a ação em si. Logo depois da ação, devem fazer um debriefing, uma avaliação inicial para garantir que toda a gente está okay. Mas o processo fica encerrado quando fazem uma avaliação da ação e do processo inteiro. Aqui ficam algumas perguntas que podem ajudar-vos nesta avaliação.

0) Temperature check

  1. Correu bem? Conseguiram fazer a ação ou falhou alguma coisa antes da concretização?
  2. Estão bem? Toda a gente está ok e seguro? Alguém ficou magoada?
  3. Como foi? Divertiram-se? Houve algo frustrante?
  4. Têm tudo? Faixas, vídeos, outros materiais, estão todos seguros? Quem os tem? Onde estão?

Antes de profundar, pede a uma pessoa para descrever a ação inteira numa forma objetiva. O que aconteceu? Quem fez o quê? Que reações receberam (do público, dos trabalhadores, da polícia, dos jornalistas)? Como entraram? Como saíram?

1) Impacto social

  1. Conseguiram tirar boas fotos? Onde estão? Já foram publicadas?
  2. Vai haver vídeo? Quem está a editar? Quando vai ser pronto?
  3. O comunicado saiu em tempo útil? Tive impacto na comunicação social? Televisão? Imprensa? Online?
  4. Houve jornalistas? Alguém falou com elas? Como foi?
  5. Como foi o impacto nas redes sociais? Quantas partilhas ou reações?

2) Ação

  1. A ação foi concretizada como tinham pensado?
  2. Quem acha que foi um sucesso? (uma pergunta muito subjetiva, só para testar o ambiente)
  3. Houve pessoas identificadas ou detidas? Quem? Estão ok agora?
  4. Houve pessoas feridas? Houve pessoas que ficaram isoladas durante a ação?
  5. Como reagiram os seguranças / a polícia?
  6. Como reagiu o público?
  7. Os pares (buddies) funcionaram?
  8. Toda a gente cumpriu o seu papel?
  9. Como foi a comunicação entre as ativistas durante a ação? Toda a gente estive na mesma página?
  10. Timings? As pessoas chegaram na hora?
  11. A ação foi não-violenta? Houve momentos violentos? Se sim, como controlaram a situação?

3) Preparação

  1. Tiveram ensaios suficientes?
  2. Tiveram materiais suficientes?
  3. Faltaram-vos algumas técnicas que podiam ser úteis?
  4. Toda a gente participou nas preparações? Houve espaço para sugestões?

4) Processo

  1. Houve objetivos que foram claros para toda a gente?
  2. Como foi a comunicação interna? As ativistas sentiram-se seguras? Tiveram clareza sobre o que estava a passar?
  3. Alguém ficou sobre-carregado? As tarefas estavam bem-distribuídas entre toda a gente?
  4. Alguém saiu no meio do processo? Como foi esta situação tratada? (papéis, pares, frustração etc.)
  5. Alguém entrou no meio do processo? Como foi, em termos de papéis, pares, construção de confiança etc=?

5) E agora?

  1. Como ficaram os custos dos materiais? Quem pagou para o quê? Há pessoas que podem precisar de reembolso do coletivo?
  2. Como estão? Querem fazer mais coisas deste género (ou maior)?
  3. Há mais algo marcado para o futuro? (É completamente normal que não haja neste momento, mas é bom saber se há expetativas no grupo neste sentido.)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Facebook
Facebook
Instagram
Flickr
RSS
Vimeo