Climáximo declara Emergência Climática

A crise climática está enraizada no sistema capitalista. “Mudar o sistema, não o clima”, por definição, não pode ser um pedido que fazemos a este ou outro governo.

Assumimos a nossa missão social e política de alcançar justiça social e climática dentro dos prazos ditados pela ciência climática.

Talvez falhemos.

Temos que vencer.

Desde 2015, fizemos a nossa parte para construir um movimento de base pela justiça climática, com acções directas, sessões de esclarecimento, manifestações, campanhas, acampamentos e formações de activismo.

Sabemos que é preciso fazer muito mais para vencer.

Por isso, declaramos dentro do Climáximo um estado de emergência climática: para além das coisas que fizemos até hoje e para além dos nossos compromissos no momento, lançamos um processo profundo de reestruturação interna.

Em contraste com o que as instituições políticas têm feito até agora, nós vamos definir objectivamente o que esta declaração significa:

1) Um plano de expansão geográfica com uma clara estrutura organizacional para núcleos autónomos.

2) Organizar para mobilizar: aumentar drasticamente a capacidade organizacional do movimento pela justiça climática, via formações regulares sobre estratégia, campanhas e teorias de mudança.

3) Ir além do business-as-usual da nossa organização: propor uma coordenação de movimento, aberta e comprometida, para articular e coordenar uma estratégia de escalada com a visão de “mudar o sistema com um prazo”.

4) Construir capacidade e investir em organização e coordenação internacional.

5) Cada uma de nós vai reflectir sobre o que esta declaração significa a nível pessoal.

6) Promover, através de palavras e acções, a integração e empoderamento de todos os membros do colectivo, tentando contrariar dinâmicas socioculturais de hierarquia de poder e privilégio.

7) Vamos fazer um ponto de situação e actualização destas medidas em três meses.

O colectivo Climáximo como é existe há cinco anos. Visamos torná-lo obsoleto em dez.
Convidamos e desafiamos todas as pessoas e organizações a ponderar sobre a crise climática e o que esta implica para elas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Facebook
Facebook
Instagram
Flickr
RSS
Vimeo