Wrap-Up: Rebelião pelo Clima, primeira onda Setembro-Outubro 2019

A Greve Climática Global em Portugal, numa semana de acção que decorreu entre 20 e 27 de Setembro, viu a realização de várias acções do Climáximo, Extinction Rebellion Portugal e da Greve Climática Global, culminando com a maior greve climática já ocorrida em Portugal e com a ocupação da Avenida Almirante Reis frente ao Banco de Portugal.

Segundo fontes oficiais, terão participado cerca de 40 mil pessoas nas greves e manifestações em Portugal, enquanto à escala global a adesão foi massiva, com mais de 7 milhões de pessoas e 6100 acções em 185 países. Os activistas do Climáximo participaram nas várias acções da semana, como a invasão da sede da The Navigator Company e do jornal online Observador.

Activistas do Climáximo entraram na sede da The Navigator Company para denunciar a hipocrisia desta empresa, que adquire publicidade em toda a imprensa para criar na população a ideia errada de que as suas práticas podem constituir alguma espécie de solução para a crise climática. O Climáximo acusa a indústria da celulose e da bioenergia de se aproveitar de forma oportunista da crise climática para aumentar os seus lucros e os seus negócios, travando as verdadeiras soluções, quer na energia, quer na floresta. O Climáximo também foi à sede do jornal online Observador distribuir os últimos relatórios do Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas, já que este jornal vem crescentemente ganhando notoriedade pelo seu espaço de opinião preenchido por negacionistas da Ciência que promovem uma agenda obscurantista, devendo o direito de informação se exercido baseando-se em rigor científico.

Vários activistas do Climáximo também participaram na acampada do Extinction Rebellion Portugal na Avenida Almirante Reis, frente ao Banco de Portugal, que bloqueou uma das principais artérias da cidade de Lisboa durante mais de quatro horas, uma acção directa de massas com mais de 300 participantes, que bloqueou efectivamente uma parte da cidade.

A semana da Greve Global Climática foi um evento absolutamente histórica à escala internacional, mobilizando simultaneamente milhões em todos os continentes, reforçando as mobilizações nos países onde elas já haviam sido enormes nas greves climáticas estudantis anteriores (Austrália, Nova Zelândia, Estados Unidos, Itália, Alemanha, Canadá), consolidando por todo o mundo (Espanha, Portugal, Áustria, Índia, Paquistão, países nórdicos, África do Sul) um movimento que se forma e se reinventa, desta vez com a extensão da greve ao mundo do trabalho, e mobilizou pela primeira vez grandes multidões em países mais pobres onde as participações anteriores tinham sido residuais, o que dá um excelente sinal de romper a bolha ocidental de onde o movimento surgiu. Na primeira semana de Outubro arrancarão as acções internacionais Extinction Rebellion e a coligação By2020WeRiseUp continua a mobilizar-se e a preparar-se para continuar as suas acções que culminarão em 2020.

Hoje convidamos-vos para uma discussão estratégica sobre os próximos passos da luta, Estratégias pela Justiça Climática, dinamizada pela campanha Empregos para o Clima. Amanhã haverá uma Reunião Introdutória do Climáximo em Lisboa – 1 Outubro onde vamos apresentar o colectivo, o nosso funcionamento e as próximas acções. No próximo dia 7 de outubro, vamos juntar-nos à Rebelião Internacional em Madrid (7 OCT: Rebelión Internacional [Acción Directa No Violenta].) Inscrições para a ida colectiva no site rebeldespelavida.climaximo.pt. E no Sábado, dia 12 de Outubro, organizamos uma Formação em Activismo Climático – 12 de Outubro em Lisboa (gratuita, mas inscrição obrigatória).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Facebook
Facebook
Instagram
Flickr
RSS
Vimeo