Exigimos uma Política sem Fósseis

Como é que a indústria dos combustíveis fósseis atrasa, enfraquece e sabota e #AcçãoClimática da UE?

💰 Gastaram 250 milhões de euros em lobbying desde 2010;

💼 Empregam 200 lobbyistas em Bruxelas; e

🏢 Realizaram 327 reuniões com altos funcionários da Comissão Europeia ao longo dos últimos cinco anos – mais do que uma reunião por semana.

O poder de lobbying das cinco maiores empresas de petróleo e gás – BP, Chevron, ExxonMobil, Shell e Total – e dos seus grupos de pressão foi exposto em estudos recentes, numa altura em que quase 200 organizações da sociedade civil em todo o mundo se juntam ao apelo para uma #PolíticaSemFósseis #FossilFreePolitics.

Para enfrentar a emergência climática, temos de livrar a nossa política dos interesses dos combustíveis fósseis. https://fossilfreepolitics.org


Exigimos uma Política sem Fósseis

Caros decisores,

Estamos a viver uma emergência climática, criada pela indústria dos combustíveis fósseis. Exigimos uma política sem fósseis.

Várias comunidades sentem já os impactos do caos climático, na forma de tempestades, secas e fogos com frequência e intensidade recorde – atingindo o Sul Global de forma especialmente dura.

Mais de dois terços das emissões de gases de efeito de estufa de origem humana vêm de uma única fonte: a indústria dos combustíveis fósseis. Para evitar o colapso climático, a enorme maioria das reservas de gás, petróleo e carvão destas empresas tem de ficar debaixo do solo. Precisamos de acção urgente e em grande escala para acabar com os combustíveis fósseis e transitar para energia 100% renovável, com os trabalhadores e as comunidades em primeiro plano.

A indústria dos combustíveis fósseis é um dos sectores mais lucrativos da História – com o total dos lucros da Shell, da BP e da ExxonMobil a atingir quase 50 mil milhões de euros.

A indústria tem poluído a política com desinformação para proteger os seus lucros durante décadas. As empresas de combustíveis fósseis tentaram sempre negar a ciência e atrasar, enfraquecer e sabotar a acção climática – apesar de saberem que o seu negócio aquece o planeta e destrói comunidades ao longo de toda a cadeia de abastecimento. O seu modelo de negócios está a matar o nosso presente e o nosso futuro.

Governos de todo o mundo comprometeram-se no Acordo de Paris a manter o aquecimento global abaixo de 1,5 graus. Mas desde que foi assinado, as cinco maiores empresas de combustíveis fósseis – Shell, BP, ExxonMobil, Total e Chevron – gastaram mil milhões de euros em lobbying e publicidade para sabotar este objectivo.

Estas tácticas de pressão por parte das empresas têm sido devastadoramente eficazes: a UE e os governos europeus continuam a estabelecer limites de emissões e objectivos de energias renováveis inadequados, continuando a encorajar-nos a consumir combustíveis fósseis, continuando a subsidiar novos gasodutos e continuando a promover falsas soluções.

Isto acaba agora. Milhões de jovens têm estado nas ruas, juntando forças com outros em todo o mundo para exigir justiça climática e um futuro sem combustíveis fósseis. Não podemos continuar a permitir que a indústria dos combustíveis fósseis esteja envolvida em decisões democráticas para travar o caos climático, reestruturar o nosso sistema energético e proteger pessoas e planeta.

A única forma de avançar é garantir que as políticas do clima e da energia são conduzidas inteiramente de acordo com o interesse público. Tal como há restrições ao lobbying da indústria tabaqueira, precisamos de uma barreira que proteja as nossas instituições democráticas e os nossos processos de decisão da interferência da indústria dos combustíveis fósseis: chega de reuniões privadas de lobbying, parcerias e colaboração.

Precisamos de uma política sem fósseis – antes que seja tarde.

Apelamos a que as nossas instituições políticas adoptem uma política sem fósseis:

1) Instituir uma barreira para acabar com o acesso da indústria dos combustíveis aos processos de decisão: fim das reuniões de lobbying; fim das posições em órgãos consultivos e especializados; fim da participação em organismos de investigação governamentais.

2) Evitar conflitos de interesse de decisores: fim da porta giratória entre cargos públicos e a indústria dos combustíveis fósseis; fim da ocupação simultânea de cargos públicos e posições na indústria; fim das contratações de consultores da indústria.

3) Acabar com o tratamento preferencial da indústria dos combustíveis fósseis: nenhum envolvimento em negociações climáticas; nenhum lugar em delegações governamentais para negociações internacionais ou missões comerciais; fim dos subsídios e incentivos para actividades relacionadas com os combustíveis fósseis.

4) Rejeitar parcerias com a indústria dos combustíveis fósseis: fim dos patrocínios e parcerias; fim da partilha de plataformas com representantes da indústria; não receber nem participar em eventos da indústria; proibição dos donativos a partidos ou candidatos.

Junta-te ao apelo por uma política sem fósseis e assina a carta: https://fossilfreepolitics.org

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Facebook
Facebook
Instagram
Flickr
RSS
Vimeo