ACÇÃO: Esta é a tua história

O Climáximo esteve esta noite frente à Embaixada da Austrália, em Lisboa, para recordar o fio condutor que une a tragédia que ocorre na Austrália com as tragédias florestais portuguesas: uma crise climática que não dá qualquer sinal de abrandar. A nossa casa está a arder e a inacção climática, tanto por negacionismo (caso do governo australiano) como por recusa em agir (caso do governo português) são um factor decisivo para criar impotência. A luta pela justiça climática é a luta pela acção para travar o colapso.

Portugal 2017, Austrália 2019/2020: incêndios incontroláveis mostram o início do caos climático, antes ainda de serem atingidas as metas de aumento de 1,5º ou 2ºC acima da temperatura pré-industrial. Na Austrália já são mais de 6 milhões de hectares de área ardida, dezenas de mortes, milhares de refugiados e centenas de milhões de animais mortos. A inviabilidade de vários ecossistemas já se desenha. Entretanto o governo do negacionista Scott Morrison insiste com novos projectos como a mina de carvão Adani, agravando ainda mais a crise climática e bloqueando activamente qualquer transição justa.

Em Portugal, a frequência de incêndios catastróficos é cada vez maior. Em 2017 morreram mais de cem pessoas e arderam mais de 500 mil hectares, 5% do país. Nem se contabilizaram os animais. Hoje, está tudo pior. Se houver um novo verão de altas temperaturas, seguido a uma seca, e com ventos fortes, há condições para tudo se repetir. E estas condições repetir-se-ão. O governo português, entretanto, mantém autorizações para explorar gás natural na Bajouca e Aljubarrota, quer adaptar os seus portos à importação de mais gás natural e construir gasodutos para transportá-lo para o centro da Europa. O governo português, cujos membros dizem acreditar em alterações climáticas, quer construir um novo aeroporto no Montijo e além disso expandir o aeroporto de Lisboa.

Aqui, como na Austrália, nós precisamos de criar centenas de milhares de empregos na defesa e protecção da floresta, assim como transição energética. Precisamos converter as indústrias fósseis em renováveis e reconverter os trabalhadores neste processo, fazendo-os agentes principais da transição justa.

A Austrália é muito longe daqui. O que está a acontecer na Austrália é muito perto do que está a acontecer aqui.

Esta é a história deles, esta é a tua história.

#detefabulanarratur #estaéatuahistória

Junta-te à luta pela justiça climática.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Facebook
Facebook
Instagram
RSS
Vimeo
Flickr