Assuntos prácticos sobre o Camp-in-Gás

Neste último vídeo antes do Camp-in-Gás, acampamento de acção contra gás fóssil e pela justiça climática, João e Sinan explicam alguns assuntos prácticos como o que trazer, como chegar e quando chegar.

Assuntos prácticos sobre o Camp-in-Gás from Climaximo on Vimeo.

Neste vídeos

  • Tudo que precisas de saber sobre o Camp-in-Gás
  • Como chegar
  • Quem?
  • Como nos organizamos
  • Orçamento transparente

Outras informações:


Tudo que precisas de saber sobre o Camp-in-Gás

O que é?

Este Verão estamos a organizar um acampamento contra o gás fóssil e pela justiça climática. É o primeiro acampamento de acção e o primeiro acampamento climático em massa em Portugal.

Porquê?

Para evitar mudanças climáticas irreversíveis, temos de parar de queimar combustíveis fósseis nas próximas décadas. No entanto, a Australis Oil & Gas quer fazer um novo furo de petróleo na zona centro, para uma nova infraestrutura de combustíveis fósseis. Há um projecto, planeado para 2019, para furar na Bajouca e em Aljubarrota. Isto representa um investimento no caos climático, e tem que ser parado.

Quando?

Julho, de 17 a 21, 2019.

Onde?

Bajouca, no distrito de Leiria. Vamos ter como anfitriões a maravilhosa Associação Bajouquense para o Desenvolvimento – ABAD no Pisão. Isto fica apenas a alguns quilómetros do local de perfuração.

Quem?

Este acampamento faz parte duma estratégia de escalamento de acordo com a urgência climática e a mobilização social que é necessária! A ideia foi lançada inicialmente pela Climáximo, Linha Vermelha, Movimento do Centro contra a Exploração do Gás e Peniche Livre de Petróleo, mas é aberto para toda a gente que sinta que a urgência climática é uma verdadeira preocupação e prioridade.

Organizam: Climáximo, Linha Vermelha, Movimento do Centro contra a Exploração do Gás, Peniche Livre de Petróleo, Climate Save Movement Portugal, ABAD – Associação Bajouquense para o Desenvolvimento, Academia Cidadã

Apoiam: BabelEscola – Associação para a Descoberta da Europa, Greve Climática Estudantil, GAIA – Grupo de Acção e Intervenção Ambiental, Museu do Casal, Praxis Magazine, Quercus, Sindicato dos Trabalhadores de Call Center, Tamera, Plataforma TROCA

Que tipo de actividades devo esperar?

Vamos ter um programa cheio de workshops, concertos, conversas e acções de preparação. Vamos partilhar experiências e capacidades uns/umas com os outr@s.

No final do acampamento, vamos organizar uma acção em massa contra o projecto de gás.

Ver Programa e Descrições das Sessões.

Devo aparecer?

Sim, especialmente se nunca estiveste envolvida em nada do género. Vamos ter todo o tipo de treino que seja preciso.

Posso aparecer do nada?

É uma pergunta complicada, a resposta é Sim e Não.

Em princípio, podes simplesmente aparecer e inscrever-te na tenda de boas-vindas.

Mas temos um espaço limitado para as tendas e a cozinha colectiva pode não te garantir comida.

As inscrições estão fechadas.

Como é organizado?

Nós organizamos o campo via assembleias abertas frequentes. Ver mais abaixo.

Posso ajudar?

Sim, por favor. Vamos precisar de montes de ajuda para montar o campo, para gerir o espaço, para cuidar uns dos outros e do local, na tenda de boas-vindas, com logística, com tradução, na cozinha, e todo o lado onde possas contribuir.

Na ficha de inscrição por favor diz-nos a tua disponibilidade e interesses, e nós contactamos-te.

Se queres ajudar em fases anteriores da preparação, aparece nas assembleias abertas.

Como lá chegar

Quando chegar?

A acção vai ser no dia 20 de Julho, sábado. No dia 19 de Julho vamos ter formação de acção o dia inteiro.

Todas as pessoas que querem participar na acção de desobediência civil estão convocadas para chegar ao acampamento o mais tardar para o plenário do dia 18 de Julho, quinta-feira, onde vamos apresentar os planos da acção.

Para famílias, pessoas sem documentos ou as pessoas que não querem fazer desobediência civil, haverá a opção de participar só na marcha autorizada. Estão convidadas a participar no plenário da sexta-feira para receber informações.

A ABAD fica na Bajouca, Leiria. O mapa está aqui: https://goo.gl/maps/RSsTNxTHrCSmkbeCA

Transportes públicos

De comboio, vais para o Pombal. Vamos ter carrinhas auto-organizadas entre o Pombal e a ABAD.

Ponto de encontro: Estação de comboio de Pombal, à frente do Hotel Pombalense.

Bicicletada

Há um grupo de trabalho que está a organizar uma viagem de bicicleta, que começa em Aveiro uns dias antes do acampamento. Para mais informações, envia email para bicicletada [arroba] camp-in-gas.pt

Carro

Se vais de carro e tens lugares, por favor menciona no formulário de inscrição, para tentarmos facilitar boleias.

O que trazer

Tu deves trazer a tua tenda, saco-cama e colchão.

Em Julho, deverás precisar de um chapéu, protector solar, garrafa de água e algum agasalho pois a noite pode ser fria no acampamento.

Para a acção traz calças e roupa de manga comprida e, se tiveres, um chapéu de chuva em bom estado que possas dispensar e borrifador pequeno (sim, daqueles para as plantas 🙂 ).

Algumas actividades podem precisar de materiais especiais, por favor lê o programa com atenção antes de saíres de casa.

Cuidado com os fogos florestais

Julho é um mês complicado e temos que estar atentos aos fogos florestais. Vai haver zonas de fumadores extremamente restritas e cada um de nós precisa de prestar atenção a coisas menos comuns.

O terreno lindo da ABAD é perto de um riacho que devemos preservar e não sujar.

E os custos?

Não há preço de entrada para o acampamento em si. Vamos tentar assegurar que tod@s (com ou sem capacidade monetária) possam participar no activismo climático.

Estamos a usar redes solidárias para arranjar o máximo de materiais que podemos, de forma a evitar comprar coisas. Para custos inevitáveis, estamos a concorrer a financiamento. Vamos manter-te atualizad@.

No entanto, a comida custa dinheiro. Prevemos cerca de 10€ por dia por pessoa. Esperando abrir na quarta (em que só vai haver jantar) e fechar no domingo (em que só vai haver pequeno-almoço e almoço): para esses dois dias, esperamos 5€ por pessoa. O registo vai estar aberto a 20 de Maio. Se queres assegurar que tens comida no acampamento, por favor preenche com essa informação e transfere o valor para podermos comprar os alimentos. Quanto mais tarde comprarmos os alimentos, mais caro vai ser, por isso poderemos de ter de cobrar mais para registos mais tardios.

Isto é apenas para a cozinha colectiva. Se gostavas de contribuir mais para o autofinanciamento do campo, por favor vem à tenda de boas-vindas e deixa uma doação.

Ver Orçamento Transparente abaixo.

Que tipo de comida?

O colectivo de cozinha Caldeira Negra vai cozinhar comida vegana, local e orgânica para todos. E vão precisar de muitas mãos para cortar os vegetais, servir os pratos e lavar a loiça. Mantém-te atenta aos quadros na tenda de boas-vindas, e ajuda quando puderes.


Como nos organizamos

O Camp-in-Gás é auto-organizado e auto-gerido.

Tivémos um total de catorze assembleias abertas desde Janeiro. Estas assembleias foram dinamizadas e facilitadas pelos sete colectivos e associações que co-organizam o acampamento, e muito mais pessoas sem afiliação participaram no processo.

Utilizámos um método de consenso moderado, em que a assembleia decide tudo por consenso e depois há um processo consultivo com as organizações envolvidas.

Existem três grupos de trabalho: Hardware, Software e Conteúdo. Cada um tem vários sub-grupos (ver abaixo). Os grupos de trabalho têm bastante autonomia sobre as suas áreas.

v2 (maio)
v1 (março)

Orçamento Transparente

Orçamento final

  • licenças, medidas de segurança, facturas: €530 (previsão inicial: €2000)
  • duches e casas de banho: €2270 (previsão inicial: €2400)
  • logística: €1380 (previsão inicial: €1300)
  • acção: €900 (previsão inicial: €500)
  • outros (viagens dos convidados, contabilista, custos imprevistos):: €870 (previsão inicial:: €2200)
  • TOTAL: €5950 (previsão inicial: €8400)

Fundos

  • Eventos benefit: €2100
  • Donativos durante o acampamento: €2700
  • Lush: €3500
  • Het X-Y Actiefonds: €800
  • TOTAL: €9100

Comida

Os custos da comida foram €6000 no total, que foi pago integramente pelos pagamentos de inscrição. Esta parte do orçamento tive um balanço totalmente equilibrado.

Notas:

– Considerando o balanço positivo, a coordenação decidiu apoiar alguns dos voluntários por uma contribuição modesta de reembolso da metade dos custos de comida que tinham pago (um total de €280, incluídos na linha “Outros”)

– Tivemos uma discussão sobre como podemos aproveitar o montante que sobre para beneficiar o movimento pela justiça climática (e não só as organizações envolvidas nas preparações). Mais especificamente, decidimos comprar os seguintes itens:

  • projector: €580

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Facebook
Twitter
Instagram
RSS
Vimeo
Flickr
Climáximo