ACÇÃO: Climáximo entrega óscares no Ministério do Ambiente

O Climáximo foi ao Ministério do Ambiente e (In)Ação Climática em nome da campanha ATERRA fazer uma entrega de Óscares. Destaca-se a atribuição do Óscar para melhor filme a “O Aeroporto do Montijo sem Danos Ambientais”, uma obra-prima de ficção sobre a construção de um novo aeroporto sem impactos ambientais e sem aumento drástico de emissões de gases com efeito de estufa.

A cerimónia prosseguiu com a entrega do Óscar de melhor actor principal ao Ministro João Pedro Matos Fernandes e de melhor actor secundário a Nuno Lacasta, Presidente da Agência Portuguesa do Ambiente. O júri não pode deixar de reconhecer as suas extraordinárias performances, marcadas por uma incrível capacidade de defender crimes ambientais com a maior naturalidade, como se acreditassem naquilo que dizem.

Como não há actores e filme sem um bom realizador, era inevitável a entrega do Óscar de melhor realizador ao primeiro-ministro António Costa, pelo seu papel na orquestração de todo o processo, e intermediação com a grande produtora desta obra cinéfila, a Vinci.

Numa manhã de sonho, “O Aeroporto do Montijo sem Danos Ambientais” arrecadou ainda o Óscar de melhor argumento, com uma adaptação do Estudo de Impacto Ambiental favorável à construção do novo aeroporto e do Roteiro para a Neutralidade Carbónica 2050, duas obras dotadas de uma imaginação delirante e de uma distorção mágica da realidade, que as colocam ao nível dos grandes clássicos surrealistas.

O grande derrotado é o nosso futuro, cada vez mais comprometido, num planeta cuja atmosfera vai sendo arruinada pelas emissões de gases com efeito de estufa em crescimento constante, com uma contribuição galopante do sector da aviação, num trajecto destinado a uma crise sem precedentes.

cerimonia1

cerimonia2

entregaOscar3

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Instagram
RSS
Vimeo
Flickr