Reflexão pessoal sobre a Emergência Climática – Gonçalo Paulo

Como parte da Declaração de Estado de Emergência Climática dentro do Climáximo, decidimos reflectir sobre o que esta declaração significa a nível pessoal. Algumas activistas decidiram partilhar os seus pensamentos e sentimentos publicamente.


Os meus amigos dizem que sou alarmista e idealista. Os meus pais e professores dizem que sou radical e ingénuo. Dizem também que me devia focar nos meus estudos e que é ai que está o meu futuro. Do outro lado, os meus amigos dizem que devia relaxar e preocupar-me menos.

Para mim, emergência climática é ter que rejeitar essas palavras porque não é justo estar parado. Não é justo para o futuro e não dá justiça para o passado.

O meu futuro tem que ter Justiça Climática ou não será um futuro para mim. Não sou idealista; como podemos deixar acontecer uma realidade que não é justa sem levantar alarme? Não posso relaxar e preocupar-me menos quando há pessoas a sofrer as consequências de termos feito isto durante tanto tempo.

Que seja ingénuo acreditar e radical lutar. Que seja radical acreditar e ingénuo lutar.

Não vou parar, não vamos parar.

Temos que ganhar.


Gonçalo Paulo é natural do Distrito de Leiria, onde ainda estão activos contratos de concessão para exploração de gás fóssil, estudante e activista do Climáximo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Instagram
RSS
Vimeo
Flickr