Radar Climático – 6 de Janeiro

Manifestação contra o fecho da Galp em Matosinhos, dia 12, passando por Lisboa

Indo desde a refinaria até aos Paços do Concelho de Matosinhos, e depois seguindo para Lisboa para uma concentração (em princípio) frente à porta da residência do Primeiro Ministro, os trabalhadores da Galp Matosinhos, vão sair à rua no dia 12. Depois de reunidos em plenário no dia 30, decidiram que vão lutar pela “permanência do complexo da refinaria do Porto”, bem como pela manutenção dos postos de trabalho. Acusam o Governo de cumplicidade com a administração da Galp, que segundo estes “está a levar à desindustrialização não só de uma região mas de um país e está a olhar sim pelos interesses económicos dos acionistas, mas não do país e dos portugueses”. O plenário contou com a presença da secretária-geral da CGTP, Isabel Camarinha.

João Ferreira, do PCP encara o fecho da refinaria de Matosinhos como “sufoco” democrático

Sem alusão às alterações climáticas, o candidato presidencial do PCP, João Ferreira considerou que o encerramento da central de Matosinhos como decisão contrária ao interesse nacional” e exemplo de como os grupos económicos “sufocam a democracia”. As afirmações aconteceram num encontro online com dirigentes sindicais e representantes dos trabalhadores da refinaria, que enfrentam agora o despedimento sem garantias. João Ferreira acrescentou ainda que por prejudicar a economia esta decisão é “contrária ao interesse dos trabalhadores, desde logo”, mas também “contrária ao interesse nacional”.

Obras de expansão do Terminal XXI do Porto de Sines arrancam em janeiro de 2021

O plano de expansão, contratualizado em outubro de 2019, prevê a expansão de 804 metros de cais, 18 hectares de terraplenos e edifícios, que serão construídos de forma faseada. A ampliação da infraestrutura portuária “criará condições para a operação, em simultâneo, de três porta-contentores com 300 metros de comprimento ‘fora-a-fora’, numa frente de cais de 1.150 metros”. Isto acontece no contexto em que o Porto de Sines é apontado como futura porta de entrada em enorme escala de gás liquefeito dos América do Norte para o coração da Europa.

A consultora Fitch Solutions afirma que violência pode dificultar futuros projetos de gás em Moçambique
A violência armada em Cabo Delgado que começou há três anos e que está a provocar uma crise humanitária com mais de duas mil mortes e 560 mil deslocados é agora abordada num relatório da Fitch Soltutions. É apontada pela consultora como “um risco significativo quer à finalização do projeto de construção da fábrica da Total, quer ao desenvolvimento do terminal de LNG da Exxonmobil e da Eni, na Área 4, na bacia do Rovuma, que aguarda ainda uma decisão final de investimento”. O projeto relativo à Área 1, é liderado pela Total. Outro dos projetos na zona é o da Área 4, do qual a Galp faz parte do consórcio.

Comboio Operário da CP volta a circular
Esta segunda feira, após 16 anos de ausência, o comboio operário da CP voltou a circular. Este volta a permitir trabalhadores das oficinas viajarem entre Contumil e Guifões numa automotora elétrica, 2 vezes por dia, numa viagem de 15 minutos. A CP e os trabalhadores das oficinas ficam a ganhar com o regresso deste serviço. A CP ao prescindir de serviços com custos de pelo menos 7.000 euros por mês. Os trabalhadores ao ganhar uma opção para chegar a horas ao local de trabalho e poupar dezenas de euros por mês, evitando a utilização do carro e apanharem trânsito.

Lisboa é das poucas capitais europeias que não tem comboios internacionais
Vários economistas acreditam que o Banco Central Europeu vai começar a ter parte ativa na luta contra as alterações climáticas

Dois terços dos 33 economistas inquiridos pelo Financial Times acreditam que o BCE irá abandonar “neutralidade de mercado”. Assim sendo, ativos como obrigações emitidas por empresas emissoras de gases com efeito de estufa teriam condições mais de financiamento mais difíceis. Esta medida conta com a oposição de outros membros do conselho de governação do BCE. No entanto, mesmo avançando com a iniciativa enormes questões continuarião a pairar no ar, como quais os critérios para definir se uma empresa é ou não emissora de gases com efeito de estufa e se o BCE deveria ir mais longe e tomar uma parte ativa em financiar investimentos que conduzam a uma transição energética.

O onda de calor estranhamente forte dirigi-se para o Oceano Ártico Siberiano

Uma massa de ar quente estranhamente forte está a chegar ao Ártico. Isto deve-se a um fenómeno chamado advecção, em que massas de ar são respetivamente substituídas ou transportadas com poucas mudanças na sua temperatura ou noutras propriedades. Assim, as temperaturas no região do mar Kara estão 20ºC acima do normal. Isto tem o contraposto de anomalias noutras regiões, com zonas da Ásia central a chegar a estar 20ºC abaixo do normal.

Discute-se em Espanha a implementação de uma semana de trabalho de quatro dias

O que já é uma medida da campanha Empregos para o Clima em Portugal, é agora discutido em Espanha. Assim, o horário de trabalho seria reduzido em um quinto, sem qualquer redução salarial. A medida tem sido defendida com o principal argumento de favorecer a criação de emprego, numa  altura em que o mercado laboral está abalado pela Covid-19

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Instagram
Vimeo
RSS
Flickr