Radar Climático – 27 de Janeiro

Navigator patrocina presidência portuguesa do concelho europeu e assegura mais fundos
A Navigator, antes conhecida como Portucel, e a maior produtora de pasta de papel da Europa, foi apresentada como patrocinadora da presidência portuguesa do concelho da união europeia em 2021. Esta mesma empresa tem sido responsável por fazer pressão contra a regulamentação florestal e disseminando plantações de eucalipto e pinho, duas espécies altamente inflamáveis. Como dona da Portucel Moçambique, tem cruelmente atropelado os direitos fundiários e meios de subsistência das populações locais. Para além do carrocel de posições que os seus membros de topo já ocuparam entre o governo e a empresa, esta tem sido altamente subsidiada pelo estado e agora tenta assegurar 665 milhões de euros do Programa de Recuperação e Resiliência.

Galp vai ter conversas individuais com 401 trabalhadores da refinaria de Matosinhos

Na sequência da decisão de concentração das atividades de refinação em Sines, esta quarta-feira, a Galp afirmou que, em fevereiro e março, vai ter conversas individuais com 401 trabalhadores da refinaria de Matosinhos, de modo a encontrar soluções viáveis em cada caso particular. Estão previstas três grandes etapas sequenciais – descomissionamento, desmantelamento e descontaminação – que devem prolongar-se durante um período mínimo de três anos.

Licitação para impedir o Reino Unido de construir a maior usina de gás da Europa falha
O desafio legal à aprovação do governo do Reino Unido de uma nova usina a gás falhou. Este desafio foi apresentado depois dos ministros rejeitarem as objeções às alterações climáticas por parte da autoridade de planeamento. A planta está a ser desenvolvida pela Drax em North Yorkshire e seria a maior estação de energia a gás da Europa. Pode ser responsável por 75% das emissões do setor de energia do Reino Unido, quando totalmente operacional, de acordo com advogados da ClientEarth, que fez a revisão judicial.

Os 5 ativistas suiços acusados de participarem num bloqueio bancário, no verão de 2019,  foram absolvidos de todas as acusações
Com as palavras “Climate protection is not a crime”, o juiz deu razão ao veredicto, descrevendo-o como uma ação não violenta e deliberada. À luz da crise climática,  alimentada pelo setor financeiro suíço, este veredicto destaca a legitimidade da Desobediência Civil. Espera-se que o veredicto seja estendido aos outros 50 ativistas acusados nos próximos dias.

O ciclone Eloise entrou na madrugada deste sábado em terra em Moçambique, junto à cidade da Beira, com fortes rajadas de vento e intensa precipitação. Os relatos são de destruição, cortes de eletricidade e telecomunicações e de vários bairros inundados. Em menos de dois anos, a cidade da Beira volta pela terceira vez a ser palco de intempéries. No final do ano passado a tempestade Chalane provocou sete mortos. Em março de 2019, um dos mais devastadores ciclones desde que há registo no hemisfério sul, o Idai, tirou a vida a 603 pessoas. Os ciclones e as enchentes têm-se tornado ocorrências cada vez mais regulares, por causa do aquecimento global, o que deixa as cidades edificadas abaixo do nível das águas do mar como esta, mais vulneráveis.

Parlamento Europeu: rumo ao reconhecimento do ecocídio como crime internacional?
Recentemente, líderes mundiais em França e na Bélgica, bem como no Vaticano, com o apoio de jovens ativistas, estão a destacar a campanha Stop Ecocide e a ação urgente necessária para proteger o planeta. Esta quarta-feira, 20 de janeiro, o Parlamento Europeu aprovou uma alteração a favor da preservação do ambiente, apresentada por Salima Yenbou:  encorajar “a União e os Estados-Membros a promoverem o reconhecimento do ecocídio como crime internacional ao abrigo do Estatuto de Roma no Tribunal Penal Internacional”.

No passado dia 21 de janeiro, Joe Biden assina um decreto sobre o regresso do país ao Acordo de Paris (depois de Trump o ter abandonado a 4 de novembro de 2017), afirmando que “Vamos lutar contra as mudanças climáticas como nunca fizemos antes”.

“Assim, os Estados Unidos juntam-se a um acordo não vinculativo e insuficiente para combater as altereções climáticas, que já contava com países como Portugal”.

Primeiro ministro apanhado em escutas- caso do hidrogénio verde
Dia 5 de novembro de 2020, a revista Sábado publicou uma reportagem sobre alegações de corrupção e uma investigação legal em curso sobre funcionários do governo: Pedro Siza Vieira, Ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital e João Galamba, Secretário de Estado da Energia, suspeitos de favorecimento do consórcio EDP / Galp / REN nos planos de hidrogénio de Sines,  empresas privadas de combustíveis fósseis. A 23 de janeiro de 2021, saiu a seguinte notícia: António Piçarra, presidente do Supremo Tribunal de Justiça, depois de ter mandado destruir duas escutas em que António Costa foi apanhado acidentalmente, validou uma terceira interceção. O tema discutido entre António Costa e Matos Fernandes , a estratégia energética nacional,  estará relacionado com o tema em investigação: uma candidatura nacional a financiamento europeu para a construção de um empreendimento de exploração de hidrogénio em Sines. A conversa vai ficar no processo que está a decorrer no DCIAP (Departamento Central de Investigação e Ação Penal).

Elon Musk, CEO da SpaceX e da Tesla, oferece um prémio de 100 milhões de dólares a quem surja com a melhor tecnologia para capturar carbono da atmosfera. Musk afirma não ter dúvidas que “os automóveis eléctricos são a solução, sobretudo se a energia que alimenta as suas baterias for proveniente de fontes renováveis. Paralelamente à utilização de veículos com zero emissões , a possibilidade de encontrar uma tecnologia viável para retirar o carbono da atmosfera seria uma forma muito mais rápida de reequilibrar o planeta.” No entanto, esta trata-se de uma falsa solução. A Captura e Armazenamento de Carbono (CCS), descreve um conjunto de tecnologias para empresas de combustíveis fósseis capturarem dióxido de carbono. O CCS é popular entre as grande empresas energéticas pois permite que mantenham o seu business as usual, enquanto fingem lutar contra as alterações climáticas. No entanto, Elon Musk enriquece com uma solução ineficaz, os carros elétricos, e aponta o discurso público para o que é uma falsa solução.

Marcelo Rebelo de Sousa vence as eleições presidenciais portuguesas
Marcelo Rebelo de Sousa, apoiado oficialmente pelo PSD e pelo CDS venceu as eleições presidenciais portuguesas à primeira volta com 60,7% dos votos. Ana Gomes ficou em segundo lugar com 12,97% dos votos, e André Ventura em terceiro com 11,90%. A campanha fica marcada pelo baixo desafio ao Business as Usual representado do Marcelo Rebelo de Sousa, e ao destaque conseguido com mais de 10% de votos por parte do candidato de extrema direita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Facebook
Twitter
Instagram
RSS
Vimeo
Flickr
Climáximo