Radar Climático – 31 de Março

A indústria de plásticos da Europa está prestes a crescer. O fracking nos EUA está a impulsioná-la

Ao mesmo tempo que a União Europeia lança planos para reduzir o lixo plástico, os seus países estão a importar gás etano barato para abastecer as indústrias de plástico. A expansão do fracking nos Estados Unidos gerou abundância de etano, um ingrediente do plástico. A sua disponibilidade e baixo custo levaram ao aumento maciço da produção de plástico no Texas, Louisiana e oeste da Pensilvânia.

Como o processo de transformação deste gás em plástico usa enormes quantidades de energia, as emissões de dióxido de carbono são substanciais. Isso significa que qualquer expansão da produção de plástico traz perigos para o clima, junto com sua contribuição mais óbvia para o lixo plástico que destrói paisagens, cursos de água e oceanos em todo o mundo.

Empregos para o Clima quer mais postos de trabalho em setores públicos para transição justa

A campanha Empregos para o Clima propôs a criação de novos postos de trabalho em setores públicos chave para a redução de emissões de gases com efeito de estufa, no âmbito da Lei de Bases do Clima. A campanha considerou que as propostas apresentadas pelo grupo de trabalho “Lei de Bases do Clima” da comissão parlamentar de Ambiente, Energia e Ordenamento do Território não aprofundam suficientemente o conceito de transição justa e lembrou que a transição energética “também significará a destruição de alguns postos de trabalho, nomeadamente nos setores intensivos em carbono“.

Assim, na sua ótica, a Lei de Bases do Clima deverá incluir a garantia de formação profissional prévia ao encerramento de instalações de setores intensivos em carbono, bem como a garantia de emprego na economia verde para aqueles trabalhadores.

Governo do Reino Unido permitirá nova exploração de petróleo e gás no Mar do Norte

Ministros irão permitir que a exploração do Mar do Norte continue em busca de novas reservas, apesar da promessa do governo de combater as emissões de carbono, desde que passem por um teste de “compatibilidade climática”. O governo ofereceu-se para ajudar a indústria de petróleo e gás do Mar do Norte a reduzir as emissões de carbono por meio de um investimento conjunto de até 16 mil milhões de libras, com o alegado objetivo de apoiar a manutenção de para ajudar a sustentar 40.000 empregos no Mar do Norte. Em troca, a indústria prometeu cortar 50% das emissões de carbono até o final da década.

Mel Evans, da campanha contra o petróleo da Greenpeace no Reino Unido, descreveu o acordo como “uma falha colossal na liderança climática no ano da Cop26”.

Manifestações pelo clima em toda a França, com 110 mil pessoas

Com 55000 manifestantes em Paris e 10000 em Lyon segundo a organização, houve demonstrações em mais de 160 cidades. O ênfase da mensagem foi a nova lei do clima em França, que os manifestantes exigem que seja mais ambiciosa do que tem sido apresentado.

Polícia criticada após atuação em Bristol

Numa manifestação em Bristol como resposta à nova lei que inibe a liberdade de manifestação em Inglaterra e no País de Gales, houve convulsões. Vídeos divulgados mostram a polícia a usar escudos como arma de arremesso contra manifestantes e a agredir um  jornalista. Vários outros jornalistas falam de intimidações. Fotografias de corpos gravemente agredidos por bastonadas têm emergido.

Esta manifestação insere-se nos protestos de “kill the bill” que almejam impedir a introdução de uma nova lei. Com quase 300 páginas, a lei prevê introduzir penas mais pesadas, acaba do saídas antecipadas para vários crimes e ataca “acampamentos inautorizados”. Ainda autoriza a polícia a barrar manifestações que esta considere “atentados à ordem pública”, a introduzir limitações de tempo e ruído e prevê 10 anos de prisão como pena por danos a estruturas como estátuas. Priti Patel, uma das principais promotoras da lei referiu-se diretamente aos protestos do Extinction Rebellion como motivação para introduzir esta lei.

Um dia de ação nacional está marcado para dia 3 de Abril.

Governo autoriza venda das redes de gás da Galp à Allianz

A Galp recebeu a autorização do Governo para transferir para a Allianz Capital Partners (ACP) as concessões das redes de distribuição de gás natural. O grupo Allianz torna-se, assim, o maior operador de distribuição de gás do país. A venda de 75% do capital da Galp Gás Natural Distribuição, por 368 milhões de euros, foi anunciada em outubro e já tinha “luz verde” de Bruxelas. A Galp ficará com 2,49% da empresa, e os restantes 22,5% permanecerão com os japoneses da Marubeni Corporation e Toho Gas.

Ever Given. Navio encalhado causou disrupção na economia

O navio Ever Given, que esteve encalhado, desde a noite da passada terça-feira, no Canal de Suez, obrigou à suspensão temporária das passagens por esta ligação estratégica até que se conseguisse resolver o problema.O EverGiven ficou encalhado devido a ventos fortes que o desviaram da sua trajetória e, segundo as autoridades, obrigou à paragem de mais de 150 outros navios. Entretanto a situação aparenta ter sido resolvida, tendo o navio estado encalhado
entre 23 e 29 de Março.

Ministro do Ambiente defende aumento do preço da água para mostrar que é escassa

João Pedro Matos Fernandes diz que, derivado dos limites de água no mundo, “o preço deve refletir essa escassez” e dar um “sinal mais forte” aos utilizadores de água de forma que a não a desperdicem.

O governante acrescentou que quando se apela para a poupança é por uma questão de “suficiência” e de “limites”, frisando que “há muito que ainda pode ser feito dentro desses limites” e apontando o dedo às más utilizações que consomem recursos e aumentam custos de operação, que, disse, devem também ser cobrados.

Espanha não está interessada na ligação ferroviária Algarve-Huelva

O ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, revelou no parlamento que Espanha não está interessada na ligação ferroviária por alta velocidade entre Vila Real de Santo António e a cidade espanhola de Huelva. Pedro Nuno Santos ressalvou que a ligação entre Vila Real de Santo António e Huelva é considerada “fundamental” pelo Governo português, mas que sem o interesse dos espanhóis “nada feito”. No entanto, o ministro das Infraestruturas e da Habitação assegurou que o Governo português tem feito e irá continuar a fazer um trabalho de sensibilização junto do Governo espanhol.

Ação pelo direito à habitação reúne largas dezenas de pessoas em Lisboa

Largas dezenas de pessoas participaram, dia 27, em Lisboa numa ação pública pelo direito à habitação, promovida por várias associações para reivindicar a continuação da suspensão dos despejos, a regulação de preços e o aumento da habitação pública. Sob o mote ‘Casas para as Pessoas e não para o Lucro’, a assembleia pública, realizada no Largo do Intendente, inseriu-se numa iniciativa europeia no âmbito do Dia Europeu da Ação pela Habitação, a decorrer em quase 70 cidades.

A ação contou com uma adesão de 200 a 300 pessoas, segundo a organização.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Facebook
Twitter
Instagram
RSS
Vimeo
Flickr
Climáximo