Radar Climático – 7 de Abril

“O nosso futuro é CO2lonialismo”. Campanha de guerrilha visa Galp no Dia das Mentiras. Empresa denuncia “ação maliciosa” e aciona meios legais

Lisboa acordou quinta-feira com vários painéis publicitários falsos a satirizar a Galp, criticando o fecho da refinaria em Matosinhos e os projetos de extração de gás natural em Moçambique. A iniciativa foi levada a cabo no âmbito de uma campanha internacional que decorreu em 10 países europeus. A Galp já reagiu, dizendo estar a ser alvo de “uma ação maliciosa” e que irá agir judicialmente contra os autores. O dia foi também marcado pelo envio de um e-mail falso em nome da empresa, já desmentido.

Em comunicado enviado às redações, o coletivo ativista Climáximo indicou que esta ação de guerrilha faz parte da iniciativa #CleanGasIsADirtyLie (“Gás limpo é uma mentira suja”), que ocorreu em 10 países europeus e que aproveita o mote do dia 1 de abril para “ajudar a indústria do gás fóssil a finalmente dizer a verdade sobre o gás “natural”.

UNICEF estima que haja 350 mil crianças deslocadas em Cabo Delgado

A UNICEF estima que o conflito em Cabo Delgado tenha já provocado 350 mil deslocados entre crianças, das quais mais de 17 mil devido ao ataque a Palma. A UNICEF apela à proteção destas crianças vítimas da violência em Cabo Delgado e alerta para a urgência de ajuda humanitária à população de Cabo Delgado, assolada também pela covid-19 e cólera, além da pobreza extrema. A vila de Palma, cerca de 25 quilómetros do projeto de gás fóssil da multinacional Total, sofreu um ataque armado na quarta-feira da semana passada, que as autoridades moçambicanas dizem ter resultado na morte de dezenas de pessoas e na fuga de centenas.

Ataques em Moçambique: Total retira todo o pessoal do projeto de gás de Cabo Delgado

A petrolífera Total retirou esta sexta-feira o resto do pessoal que mantinha no projeto de gás no norte de Moçambique, na sequência do ataque de dia 24 a Palma. A retirada completa da Total do distrito de Palma acontece após um ataque à vila sede que provocou um número de mortes ainda desconhecido e que está a colocar em fuga cerca de 10.000 pessoas – além das 23.000 reportados pela petrolífera junto ao recinto. A retirada completa inclui empresas subcontratadas que se mantinham na área do maior investimento privado em curso em África e cujos trabalhadores saíram por via marítima e aérea.

As alterações climáticas custaram 7 anos de crescimento da produtividade agrícola

Apesar dos avanços agrícolas para alimentar a população mundial nos últimos 60 anos, a produtividade agrícola global é 21% menor do que poderia ter sido sem as alterações climáticas. É o equivalente a perder cerca de sete anos de aumento de produtividade agrícola desde 1960.

Universitários exigem neutralidade carbónica de instituições de ensino superior até 2030

Mais de 60 estruturas associativas estudantis se associaram ao movimento “Carta Aberta do Ensino Superior pelo Clima”, que apela para que as instituições de ensino superior declarem emergência climática e exige que se comprometam a alcançar a neutralidade carbónica até 2030, lembrando que este último objetivo está em conformidade com o painel intergovernamental sobre mudanças climáticas da Organização das Nações Unidas para alcançar os objetivos do Acordo de Paris sobre a redução de emissões de gases com efeito de estufa.

Pablo Iglesias denuncia ataque “da extrema-direita” a sede do Podemos em Cartagena

Imagens de vídeo mostram arremesso de material explosivo contra instalações partidárias na cidade da província de Múrcia. Ex-vice-presidente do Governo garante que o “terrorismo de rua” não intimida o partido. O líder do Podemos e candidato do partido de esquerda às próximas eleições da Comunidade de Madrid, Pablo Iglesias, denunciou esta sexta-feira um ataque “da extrema-direita” à sede do partido em Cartagena, na província espanhola de Múrcia. O antigo vice-presidente do Governo de Espanha garantiu, no entanto, que o Podemos não se vai deixar intimidar por este ataque.

Hidrogénio. A primeira experiência com gás natural vai começar

Portugal vai ter, dentro de poucos meses, a primeira rede de distribuição de gás natural com hidrogénio, um projeto essencialmente de aprendizagem, conhecimento e de testes, porque a “vida” do gás natural pode ser curta. O projeto da GGND de começar a injetar hidrogénio na rede de gás natural, inicialmente numa percentagem pequena e numa rede confinada, servirá cerca de 80 clientes, a maior parte residenciais. Será a primeira vez que em Portugal se mistura hidrogénio com gás natural e terá a duração de três meses, segundo as contas de Nuno Nascimento, que acredita que no final da década será possível cumprir a meta do Governo de haver 10 a 15% de hidrogénio em toda a rede de gás fóssil.

Portugal pode reativar sozinho o Sud-Express

CP estuda a hipótese de recuperar carruagens aptas para comboio noturno e assim explorar sozinha a rota centenária.

Estamos no Ano Europeu da Ferrovia, e o ministro Pedro Nuno Santos já disse que a manutenção deste comboio “é muito importante”, mas que ainda há “muito trabalho a fazer com a Renfe”, salientando que, do lado português, é possível encontrar financiamento, mas que é preciso “fazê-lo com os espanhóis”.

Portugal só tem duas opções para ir até Espanha de comboio: do Porto até Vigo e do Entroncamento até Badajoz. Este segundo trajeto liga Lisboa a Madrid, mas é preciso apanhar quatro comboios diferentes: Primeiro, um regional de Lisboa até ao Entroncamento; de lá, uma automotora até Badajoz, em Espanha; já em Badajoz, trocar para outra automotora até Mérida; e aí mudar para outra até Madrid. Chega-se à capital espanhola ao fim de dez horas e meia.

PSD defende criação de contrapartida fiscal para municípios com barragens e parques eólicos

Adão Silva defende que deve ser criada uma contrapartida fiscal para os municípios com barragens e parques eólicos. O social-democrata diz que o “neocolonialismo” das grandes empresas tem de acabar. A questão surge após o polémico negócio da venda das seis barragens da bacia do Douro por parte da EDP ao consórcio liderado pela francesa Engie. Contesta-se o facto de não terem sido pago impostos, nomeadamente o imposto de selo estimado em 110 milhões de euros. Adão Silva argumenta que é necessário criar uma forma sistemática de compensar as populações pela utilização dos recursos públicos como as barragens, os parques eólicos ou até as minas.

Manifestações “kill the bill” em Inglaterra e Gales

No sábado, manifestantes saíram contra o projeto de lei que visa colocar restrições severas no direito de protesto, como por exemplo dar à polícia o direito de impedir manifestações que esta considere prováveis de gerar desordem. A oposição à lei considera-a um ataque ao direito de protesto e um passo autoritário. Destaca-se a presença em Londres de várias figuras políticas do Partido Trabalhista como o antigo candidato a Primeiro Ministro da Grã-Bretanha, Jeremy Corbyn. Esta manifestação também surge na sequência de agressões da polícia a manifestantes em Bristol na semana anterior. Surgiram vários relatos de detenções de manifestações e relatos do uso de gás-pimenta.

Notícias sobre aviação

Minoria de passageiros frequentes “causa a maior parte dos danos climáticos da aviação”

Um relatório que reúne dados dos países com as maiores emissões de aviação, mostra um padrão mundial de um pequeno grupo com uma grande proporção de voos, enquanto muitas pessoas nem voam. A pandemia do coronavírus reduziu o número de voos realizados, mas ativistas temem que os resgates do governo às companhias aéreas façam com que a aviação volte à sua tendência de crescimento pré-pandêmica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Facebook
Twitter
Instagram
RSS
Vimeo
Flickr
Climáximo