Movimento climático sai à rua contra aviação e em solidariedade com trabalhadores sob o lema “Fim do mês, fim do mundo: a mesma luta”

Está convocada para a próxima segunda-feira, 19 de Abril, às 19h00, a manifestação “Em Chamas”, que vai sair da rotunda do Marquês de Pombal em Lisboa, até ao Largo do Rato, para uma concentração e assembleia aberta à frente da sede do Partido Socialista (PS). Inspirado por uma das faixas nas mobilizações de coletes amarelos na França, foi escolhido como lema a frase “Fim do mês, fim do mundo: a mesma luta.”

A manifestação reivindica “um decrescimento da aviação, uma transição justa, e mais investimento na ferrovia”. As organizações sublinham especialmente que a gestão da crise sanitária “fragilizou ainda mais os trabalhadores no sector a custo dos resgates às empresas, e que uma transição justa (não só como resultado final mas também como um processo) deve garantir melhorar a vida de quem trabalha”. Neste sentido, definem este protesto como “um ato de solidariedade para com os trabalhadores”.

Inês Teles, porta-voz da manifestação “Em Chamas” afirma que “o colapso da aviação civil por causa da COVID-19 cria uma oportunidade única para uma transição justa no sector”, acrescentando que “o Governo e as empresas aéreas continuam a insistir numa voltar à normalidade, quando a normalidade já era um problema, porque estávamos e estamos ainda mais a caminho do caos climático”. O papel do Governo, liderado pelo PS, é criticado por “estar proativamente a contornar o cancelamento do novo aeroporto no Montijo, ignorando a vontade das populações expressa tanto através da consulta pública à avaliação de impacto ambiental como também pelo direito de veto exercido pelas Câmaras Municipais das zonas afectadas pelo aeroporto”.

19 de Abril, segunda-feira

19h00

Marquês de Pombal -> Largo do Rato


Todas as informações podem ser encontradas no site da manifestação, que é organizada por: A Coletiva, Academia Cidadã, AmbientalIST, ATERRA, Braga Animal Save, ClimAção Centro, Climáximo, Com Calma – Espaço Cultural, Greve Climática Estudantil, Habita, Linha Vermelha, Lisbon Climate Save, Movimento Ar Puro – Rio Maior, NAPA – Núcleo Académico para a Proteção Ambiental do ISCSP, Núcleo Antifascista de Guimarães, Plataforma TROCA, Por Um Ribatejo Melhor e Rede Para o Decrescimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Facebook
Twitter
Instagram
RSS
Vimeo
Flickr
Climáximo