Radar Climático – 21 de Abril

França cria delito de “ecocídio”

Com uma nova proposta na sequência dos membros da Convenção dos Cidadãos pelo Clima, organizada pelo Presidente Macron, a norma foi aprovada na Assembleia Nacional para casos de poluição ambiental praticados de forma intencional.

À esquerda, a figura de delito é considerada insuficiente, pretendendo que ficasse consagrado a definição de “crime de ecocídio”.

Sondagens apontam para um crescimento dos verdes na Alemanha

Minados por escândalos de corrupção e a gestão da pandemia, a popularidade dos conservadores de Angela Merkel está em queda livre, com os Verdes em contraposição a conseguirem ganhos de popularidade. Aponta-se que estes terão uma duplicação dos votos, destronando o SDP e passando a ser a segunda força política na Alemanha. A CDU deve manter-se em primeiro, mas com estas projeções será forçada a fazer concessões a parceiros de coligação.

Sendo suficientes ou não as medidas apresentadas pelos Verdes, muitos inquiridos alemães dizem-se preocupados com as alterações climáticas.

Seguem-se as conversas para adiar a COP26

Com a crise pandémica a afetar assimétricamente diferentes países, realizar a COP este ano parece ser cada vez mais um desafio. Para não deixar certos países de fora, já se fala numa COP híbrida com muitos eventos online, e outros (como negociações) offline.

Secas e ondas de calor triplicaram na Europa desde 1961

Segundo um estudo da Universidade Nova de Lisboa, as secas e ondas de calor triplicaram nos últimos 50 anos na Europa, com uma correspondente redução nas colheitas, especialmente cereais. Dividiu-se o período de estudo em duas partes, uma até 1990 e outra de 1991 a 2018. Verificou-se que as perdas na agricultura são muito maiores na segunda parte. Se na primeira parte os eventos climáticos extremos tiveram um impacto na produção avaliado em menos 3,6%, a partir de 1990 o impacto foi de menos 9,8%.

As secas históricas e as ondas de calor reduziram os rendimentos dos cereais europeus em média em 9% e 7,3%, respetivamente. Nas outras colheitas não cerealíferas os rendimentos diminuíram 3,8, e 3,1%. Já as vagas de frio levaram a uma quebra de 1,3% nos rendimentos de cereais e de 2,6% de não cereais.

Apenas 3% dos ecossistemas mundiais se mantêm intactos

Um estudo de investigadores sediados em Cambridge estima que apenas 3% da terra mantém-se ecologicamente intacta com populações saudáveis no seu habitat inalterado. Esta terra encontra-se por fragmentos em áreas como as florestas tropicais do Congo e da Amazónia, o leste da Sibéria, o norte do Canadá, e o deserto do Sahara.

Por exemplo na Austrália, apesar da vastidão de território sem habitações humanas, não existem áreas intactas; em especial devido a espécies invasoras como gatos, raposas, cabras e camelos.

A nível mundial, apesar de 20% a 40% do planeta ser pouco afetada pela atividade humana, mesmo assim o impacto faz-se sentir.

A Amazon despediu ilegalmente trabalhadoras que advogavam reduzir o impacto climático e expressavam preocupação com a condição de trabalhadores

No ano passado duas trabalhadoras mais críticas dentro da empresa sofreram retaliações ilegais, segundo o Departamento das Relações Laborais. Emily Cunningham e Maren Costa, tinham publicamente advogado para a empresa reduzir o seu impacto climático e cuidar das preocupações dos trabalhadores dos centros de distribuição. Existiram outros casos parecidos, especialmente ligados às condições sanitárias durante a COVID-19.

Segundo maior aumento anual de emissões de carbono projectado para 2021

O relatório anual da Agência Internacional da Energia prevê um aumento drástico de emissões de carbono em 2021. Após um ano de queda significativa, explicada pelos confinamentos generalizados e redução da atividade económica, agora, com o desconfinamento, está a caminho o segundo maior aumento anual de emissões de dióxido de carbono para a atmosfera a nível global. Assim, as emissões de carbono podem aumentar em mais de 1,5 mil milhões de toneladas este ano, para um total de 33 mil milhões de toneladas, totalizando uma variação de 4,8%, ficando apenas atrás de 2010 ,quando a economia recuperava da última grande crise global.

Governo apresenta Plano Ferroviário Nacional

O PFN vai incluir o objetivo de ligação ferroviária a todas as capitais de distrito, bem como a ligação dos terminais de mercadorias aos portos e terminais logísticos. O objetivo anunciado é aumentar a densidade da rede e, ao mesmo tempo, encurtar os tempos de viagem entre os diversos destinos. Este acontece quando nos 35 anos de integração europeia, cerca de 1000 quilómetros de rede ferroviária terem sido encerrados.

Para já o financiamento que dentro do Quadro Financeiro Plurianual 2021-2027 enquadra alguns projetos, como a modernização da linha de Cascais, a quadruplicação da linha de Sintra, entre o Areeiro e a Gare do Oriente, a primeira fase da nova ligação entre Lisboa e o Porto e Porto – Vigo, a eletrificação do resto da rede que ainda falta.

Notícias sobre aviação

Cerca de 100 ativistas pela justiça climática protestaram esta segunda-feira para exigir um sistema mais justo de transportes, mas com menos aviação

Ontem uma manifestação pela justiça climática saiu à rua, em Lisboa, para exigir um sistema justo de transportes, com menos aviação e mais investimento na ferrovia. Organizada sob o lema “Fim do mês. Fim do mundo. A mesma luta”, resultou da ação “em chamas”, organizada pelo Climáximo — que conta com o apoio de outros grupos, incluindo a campanha “ATERRA”. Foi criticada a hipocrisia do governo, gostando de dar uma imagem de comprometido com a transição energética, contudo ambicionando aumentar a capacidade aeroportuária de Lisboa.

Um sindicato diz que TAP está a ser alvo de uma “purga” de trabalhadores

O Sitava – Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos – considerou que a TAP está a ser alvo de uma “purga”, após o anúncio de uma nova vaga de rescisões por mútuo acordo, reformas e pré-reformas.

Após 690 adesões, a empresa vai avançar com uma nova vaga de “adesões voluntárias” à saída da empresa. Face a isto, o sindicado acusa a administração da empresa e o Governo, de quererem reduzir a companhia aérea a um grupo pequeno, permitindo aos grandes grupos internacionais tomarem conta do setor a nível internacional, em linha com os planos da União Europeia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Facebook
Twitter
Instagram
RSS
Vimeo
Flickr
Climáximo