Actualização: Já doaste para o movimento pela justiça climática?

Se queres doar para o movimento pela justiça climática, considera doar para organizações no Sul Global que estão a fazer um trabalho com impacto real e deveriam ser mais apoiadas. Consulta este artigo onde te deixamos algumas sugestões de grupos em redor do mundo que achamos serem dignos do teu donativo!


Actualização Importante

O Climáximo propôs-se, na sequência da sua declaração de emergência climática, a criar infraestruturas organizativas ao serviço de todo o movimento por justiça climática, em particular para assuntos financeiros.

No passado dia 26 de Abril, na sequência do lançamento da conta do Climáximo na Open Collective – uma plataforma online que permite colectivos recolher dinheiro – e respectiva campanha para angariação de fundos, escrevemos nas nossas redes sociais que, se todas as pessoas que nos seguem doassem 1€, esta primavera podíamos ter ações que mudariam o rumo das nossas sociedades.

O objectivo era comunicar que as pessoas poderiam contribuir financeiramente para a acção Em Chamas, com a qual nos desafiamos para um escalamento de mobilizações para mudar o rumo das nossas sociedades, que terá algumas despesas logísticas. Não dissemos isto. Ao invés, utilizámos uma linguagem comercial, que é incompatível com a luta pela justiça climática. Sabemos que a linguagem referente ao dinheiro é avassaladoramente uma linguagem alienada que se foca no mesmo como um fim, e não como um meio. Errámos ao comunicar neste termos, como se fôssemos uma organização que se insere nesta maneira de pensar. Não o somos e queremos continuar a não o ser.

Reconhecemos isto como um erro político colectivo.

Esta falha foi detetada internamente e as publicações foram corrigidas. Porém, estamos conscientes de que o texto em causa foi lido e aceite por várias activistas do colectivo antes de ser publicado. Compreendemos que viver num sistema tóxico significa que cada uma de nós e os espaços que criamos em conjunto estão igualmente intoxicados. Hoje, reconhecemos que ainda não somos capazes de estabelecer uma estratégia de comunicação para recolha de donativos que esteja alinhada com a nossa visão do mundo e com a frontalidade e honestidade a que a realidade nos obriga.

Assim, decidimos cancelar de imediato toda a publicidade e comunicação referente à nossa conta na plataforma Open Collective.

Durante os próximos meses comprometemo-nos a repensar a nossa relação com ferramentas financeiras e reflectir sobre a força que esta alienação ainda tem dentro de nós como colectivo. Com criatividade, procuraremos formas de lidar com a contradição inserida e permanente das actividades contra o sistema terem despesas e custos monetários. No verão iremos apresentar novos passos, inseridos nas novas medidas internas do estado de emergência climática do Climáximo.

O tempo não pára. Cada falha é mais um passo no sentido do caos climático. Com coragem e imaginação, reinventamo-nos sistematicamente, ao mesmo tempo que continuaremos nas ruas a lutar para descontaminar a economia e a regenerar as nossas sociedades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Facebook
Twitter
Instagram
RSS
Vimeo
Flickr
Climáximo