Radar Climático – 30 de Junho

Vazado rascunho do próximo relatório do IPCC

Sem surpresa, a versão atual indica que mesmo contendo as emissões no curto prazo, as alterações climáticas deverão moldar a vida no planeta durante as próximas décadas. Fornecimento de alimentos, escassez de água, extinções de espécies, migrações, doenças e eventos climatéricos extremos tornar-se-ão predominantes. Este relatório enfatiza o que anteriormente tinha sido acusado de ignorar – os pontos de não retorno como o derretimento da Gronelândia e o recuo da floresta da Amazónia – e aborda a possibilidade de estes fenómenos serem irreversíveis, mesmo com uma redução imediata das emissões. A data da publicação ainda é incerta, podendo acontecer entre este verão e o ano que vem.

Alemanha aponta para Neutralidade Carbónica em 2045

Com isto, a Alemanha antecipa em 5 anos o prazo para chegar à neutralidade carbónica. Além disso, a nova legislação prevê metas de 5 anos para reduzir as emissões. Mesmo assim, continua a ser uma data posterior a 2030, como o movimento climático exige. 2050 permanece a data de referência para o Acordo de Paris, a Comissão Europeia, e Portugal.

Mais de 20 famílias da Costa Vicentina ficaram sem água para regar as hortas

A Associação dos Beneficiários do Mira (ABM), responsável pelas infraestruturas de rega e por fazer chegar a água do Rio Mira aos agricultores, cancelou o fornecimento de água a cerca de 20 famílias da região. A ABM, dirigida essencialmente por grandes empresários agrícolas, alega que cortou aos pequenos para poupar água na Barragem de Santa Clara, atualmente abaixo dos 50% de capacidade. Alega também que estes utentes são precários e o fornecimento de água é quase um favor e está dependente da disponibilidade, já que pagam um preço simbólico e não as taxas necessárias para serem membros. Estas famílias, que sempre fizeram as suas contribuições, apesar dos seus reduzidos rendimentos, vêem-se agora privadas de água para as suas hortas.

A Agência Portuguesa do Ambiente (APA) diz que este racionamento da água do Mira compromete o caudal ecológico do rio e exige a reposição do mesmo, mas a ABM refuta. Por último, a Junta de Freguesia de Santa Clara pediu fornecimento de água à ABM para o lago da aldeia, tendo esta última feito uma proposta de fornecimento no valor de 13000 euros. Ou seja, na possibilidade de um encaixe financeiro, aparece a possibilidade de fornecimento de água.

Sindicatos do setor ferroviário convocam concentração nacional para 6 de julho em Lisboa

A convocatória foi feita pelo Sindicato Nacional dos Trabalhadores do Setor Ferroviário (SNTSF) e pela Federação dos Sindicatos dos Transportes e Comunicações (Fectrans), que, no quadro desta luta, já tinham marcado uma greve para a passada sexta-feira, dos trabalhadores da CP e da Infraestruturas de Portugal (IP). Os sindicatos reclamam a valorização salarial dos trabalhadores da CP, da IP,SA, IP-Telecom, IP-Património e e IP-Engenharia, alegando que as administrações das empresas não estão a cumprir a revisão das remunerações.

A convocatória desta concentração vem na sequência de uma série de greves que ocorreram no final de maio e início de junho por parte dos trabalhadores destas empresas ferroviárias. José Manuel Oliveira, coordenador da Fectrans, disse à agência Lusa que, até ao momento, os trabalhadores não receberam qualquer resposta às suas reivindicações, aguardando algum desenvolvimento nos próximos dias.

Madagáscar é o primeiro país onde se passa fome devido às alterações climáticas 

Segundo a ONU, a população está a alimentar-se de gafanhotos, folhas de catos e até de lama para sobreviver.

A fome em Madagáscar é particularmente mais forte no sul do país. Há mais de um mês, a ONU tinha já avisado que a fome crescente colocava em risco mais de um milhão de pessoas.

Lola Castro, directora regional do Programa Alimentar Mundial (PAM), afirmou que “há pessoas à beira da fome e não há um conflito. Há apenas as alterações climáticas, que com os seus piores efeitos estão afectar gravemente a vida destas pessoas”, considerando que é necessária uma resposta rápida da comunidade internacional.

Conclui dizendo que “estas pessoas não contribuíram em nada para as alterações climáticas e estão agora a assumir todo o fardo”. As agências de ajuda humanitária estão a tentar consciencializar para a tragédia, mas Madagáscar continua a ser um local de difícil acesso, tanto para a ajuda humanitária, como para os órgãos de comunicação social, devido à pandemia de covid-19 e às restrições a esta associadas.

Na América do Norte, onda de calor extremo continua

A semana passada, mencionou-se neste espaço a onda calor que estava a atingir o sudoeste dos EUA, nomeadamente Las Vegas e arredores.

A onda de calor extremo estendeu-se agora pela costa oeste, chegando mesmo ao Canadá. O Canadá registou esta semana um recorde de temperatura, tendo os termómetros atingido no dia 27 os 46,6ºC, pela primeira vez na história do país, na localidade de Lyton perto da fronteira com os EUA. Logo no dia seguinte, outro recorde canadiano de temperatura foi estabelecido em 47,9ºC.

Também as cidades de Portland e Seattle, no noroeste dos EUA, normalmente com climas chuvosos, registaram máximos históricos de temperatura, sendo que Portland atingiu os 44ºC e Seattle os 40ºC. As vendas de aparelhos de ar-condicionado e ventiladores dispararam e foram criados, também, abrigos de refrigeração para as pessoas frequentarem. Alguns bares e restaurantes – e até mesmo uma piscina – foram considerados quentes demais para funcionar e foram encerrados.

Subsídios para reduzir emissões em vias de acabar no setor do gás

Nos Estados Unidos, dinheiro que deveria ser direccionado para reduzir emissões poderá acabar por subsidiar a instalação de soluções da dita “captura de carbono”. Ao invés de se acabar com  a extração, que não deveria sequer acontecer, o dinheiro ainda está a ser canalizado para estas empresas aplicarem soluções fictícias. Os projetos têm pouca viabilidade em termos de custos, podendo a partir deste tipo de subsídios manter as empresas poluentes de pé. Na fundamentação desta solução está a fraude de que o gás fóssil poderá ser livre de emissões com a aplicação da tecnologia certa

Iniciada a construção do gasoduto entre Nigéria e Marrocos

Este transportará gás fóssil ao longo de 10 países, fazendo o chegar até Marrocos no Norte de África. Será expectável que este também seja capaz de ser prolongado de Marrocos a Espanha para depois chegar ao coração da Europa, o que implicará a construção de novas infraestruturas na Península Ibérica. Como uma das grandes motivações para a Nigéria promover este projeto, está é a sua necessidade de obter divisas internacionais via a venda de combustíveis fósseis para sustentar a sua situação económica periférica.

12 pessoas presas e materiais apreendidos em operações da Polícia em Londres contra o XR

Em Londres, a polícia invadiu várias estruturas do Extinction Rebellion (XR) e deteve várias pessoas. Isto vem no contexto de medidas preventivas por parte da polícia para combater “dano criminoso e obstrução”. Entre os materiais estão estruturas similares a tripés. As ações do XR a decorrer atualmente são dirigidas para a imprensa que os ativistas acusam de contribuir para a crise climática.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Facebook
Twitter
Instagram
RSS
Vimeo
Flickr
Climáximo