Relato do dia 10/07 – Acampamento 1.5

 

O último dia do acampamento 1.5 começou com o debriefing da ação na refinaria e a manifestação no Porto de Sines. O dia anterior foi percorrido hora-a-hora, com a partilha de reflexões sobre as experiências do dia, a partir de diferentes perspetivas. Conseguimos tocar nos momentos mais marcantes, e falar das várias perspetivas de cada um deles, percebendo os modos diferentes em que cada grupo e cada pessoa experienciou a ação, e criando uma visão coletiva de tudo o que aconteceu.

Durante este plenário houve também um momento de discussão dos próximos passos do movimento. Em particular, falou-se do movimento contra a desflorestação da Quinta dos Ingleses, da oposição à construção das barragens do Projeto Tejo, do acampamento das Covas do Barroso, do Ende Gelände e as suas ações de solidariedade. Em cada um destes introduziram-se os objetivos e ações de cada um destes movimentos e facilitou-se a participação das ativistas em cada um deles. Discutiu-se ainda em pequenos grupos a comunicação de Trabalhadores e Clima, o movimento Ocupa pelo Fim ao Fóssil e a campanha “Gás é Andar para Trás”, fazendo-se propostas de ação e organizando as ativistas.

À tarde houve uma sessão de formação, chamada “Como Construir um Movimento”. Foi apresentado o modelo Action Learning Cycle, e pediu-se às ativistas para se agruparem e discutirem sobre as ações, movimentos e coletivos em que tinham participado no paradigma deste modelo, procurando-se perceber com que partes do ciclo tinham corrido bem nestas ações, e quais aquelas que tinham falhado, e possíveis alterações que se pudessem fazer, à luz deste modelo, para melhorar essas ações. Repetiu-se depois este processo para o Cycle of Momentum. Em geral, foi um momento bastante elucidativo, trazendo uma consciência e compreensão às nossas experiências passadas como ativistas, percebendo não só o que correu bem ou mal, mas o porquê disso, e como os movimentos evoluem. Assim, serviu também como motivação para voltar a esses movimentos e aplicar tudo o que se tinha aprendido.

No final do dia começaram as arrumações e as partidas, sendo o processo de levantamento do acampamento algo que durará durante os próximos dias, pela mão de várias ativistas que estão a desmontar o acampamento que permitiu organizar as ações e formar mais de cento e quarenta participantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Facebook
Twitter
Instagram
RSS
Vimeo
Flickr
Climáximo