Ativistas de toda a Europa vão bloquear a Conferência Europeia de Gás em Viena, na Áustria, de 27 a 29 de Março.

Ativistas de toda a Europa vão bloquear a Conferência Europeia de Gás em Viena, na Áustria, de 27 a 29 de Março. Climáximo estará presente e é parte da aliança que organiza o bloqueio.

De 25 a 29 de Março, “Block Gas”, uma aliança de coletivos que lutam pela justiça social e climática em toda a Europa, acolhe dias de acção de desobediência civil maciça para bloquear a EGC, Conferência Europeia de Gás, na Áustria. Antes da EGC, uma coligação de organizações e movimentos sociais organizará a sua própria conferência, “Power to the People”, na Universidade de Viena. O Climáximo, parte da Block Gas, estará presente na conferência e no bloqueio.

No final deste mês as companhias de gás, instituições financeiras e políticos reúnem-se para se fixarem sobre o futuro das contas de energia. A segunda maior empresa austríaca, a OMV, acolhe esta reunião europeia do “Gas Council” fóssil – uma rede global de lobistas e investidores financeiros séniores de combustíveis fósseis. Entre os convidados da conferência estão CEOs dos principais actores fósseis, tais como a BP, a Uniper, a Total, a RWE, a Equinor e grandes investidores financeiros, tais como BlackRock e políticos europeus de alto nível. Ocorrerão mais de 100 reuniões privadas para lobistas, com bilhetes à venda na ordem dos vários milhares de euros.

Em Viena, estas empresas de gás fóssil pretendem tomar, à porta fechada, as decisões essenciais em matéria de política energética e climática, garantir a perpetuação da indústria que assegura o caos climático e ressuscitar o investimento e os projetos de gás na Europa e fora dela. Na agenda estarão, entre outros, o RePowerEU, o H2Med, o TransAdriatic Pipeline e os Terminais de GNL. Os seus planos de reunião e de expansão serão postos, a partir de Viena, em cheque pelo movimento pela justiça climática.

Na Europa, a dependência dos combustíveis fósseis levou a uma inflação vertiginosa, a crises energéticas e de custo de vida, bem como à dependência de estados autocráticos. Ao mesmo tempo, os actuais planos da indústria europeia de gás fóssil no Sul Global ameaçam alargar as injustiças coloniais, explorando os recursos locais, despojando as suas comunidades e prejudicando irreversivelmente os ecossistemas. Os protestos contra a EGC irão lançar luz sobre o papel do lobby do gás que pressiona para a expansão maciça das infra-estruturas fósseis, irão desafiar a destruição das pessoas e do planeta organizada pelas empresas e desencadear o início do fim da loucura do gás fóssil.

Antes da EGC, uma contra cimeira liderada por movimentos sociais, a Conferência “Power to the People” terá lugar em Yppenplatz e na Universidade de Viena entre 24 e 26 de Março, com a participação de coletivos internacionais como Don’t Gas Africa, Don’t Pay UK, Jineoloji-Kommitte, Black Earth Kollektiv, entre outros. Esta conferência apresentará uma visão sobre o sistema energético do futuro que tem de começar agora. Vê mais aqui.

Na terça-feira, 28 de Março, às 17h30 na Stephanplatz ocorrerá a manifestação “Parar o lobby do gás – Poder ao Povo!”.

O Climáximo, uma das organizações de Block Gas, estará presente em Viena, tanto na conferência “Power to the People” quanto no bloqueio à Conferência Europeia de Gás. Para travar as crises do custo de vida e a crise climática é urgente acabar com a sua principal fonte na Europa: o gás natural. É urgente garantir que o próximo seja o último inverno de gás na Europa.

Sabe mais aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Facebook
Twitter
Instagram
RSS
Flickr
Vimeo
Climáximo